Espinhas, as famosas acnes: o que causa e como tratar

Espinhas, as famosas acnes: o que causa e como tratar

Avenida Vereador Abel Ferreira, 1844 – Vila Invernada, São Paulo – SP, 03348-030 8/6/2021 – O problema pode se estender por muito tempo caso a pessoa não busque ajuda médica e, da mesma forma, pode ser facilmente resolvido ao buscar um dermatologista.

A acne pode ser causada por alterações hormonais (principal fator de aparecimento da acne adulta), assim como uso de alguns medicamentos, cosméticos, hábitos alimentares, estresse e até predisposição genética.

É muito difícil encontrar alguém que nunca tenha sofrido com a acne. Ela afeta a aparência e pode ter consequências no cotidiano, nos estudos, no trabalho e na vida pessoal como um todo. Além disso, quem sofre com o problema pode perceber dificuldades ao tentar se livrar dele.

Ela é uma condição de pele que acontece quando os folículos pilossebáceos (a região onde os pelos nascem) se obstruem devido ao excesso de sebo produzido pela glândula. A região é colonizada por bactérias e assim surgem as acnes, através de uma inflamação local. Extremamente comum na fase da adolescência, a acne também pode se estender para a vida adulta, por diversos motivos.

Os motivos do surgimento da acne

A acne pode ser causada por alterações hormonais (principal fator de aparecimento da acne adulta), assim como uso de alguns medicamentos, cosméticos, hábitos alimentares, estresse e até predisposição genética.

Fatores de risco para o surgimento da acne

Existem alguns momentos onde há maior probabilidade da acne surgir. São eles:

● até dez dias antes do período menstrual da mulher;
● durante a gestação;
● durante o período da adolescência;
● em meio a tratamentos com corticoides, andrógenos ou lítio;
● em situações de estresse e ansiedade.

Além disso, a mania de tocar muito no rosto com as mãos, o suor excessivo e o uso de produtos muito oleosos, também podem deixá-la mais oleosa e acneica.

O que fazer quando as acnes se tornam um grande problema?

O primeiro passo que alguém que está sofrendo com acne deve fazer é procurar um médico, de preferência um dermatologista especializado, que saberá reconhecer o motivo do aparecimento da acne e saberá recomendar o melhor tratamento. Cada pessoa tem um tipo de pele e um motivo para o aparecimento das espinhas. Portanto, cada tratamento é muito individual e só deve ser prescrito pelo médico após uma consulta.

De acordo com o doutor Flávio Faria CRM/SP 120.411 e RQE 53.096, especialista em dermatologia e proprietário da clínica Dermatologue, em São Paulo, a acne pode ser um fator muito perigoso para a autoestima, podendo causar até mesmo quadros depressivos em quem convive com o problema. As espinhas afetam a estética das pessoas e mexem muito com a autoestima. Sendo assim, muitas vezes inibem o convívio social, causam medo da rejeição e passam a interferir no psicológico de cada pessoa. De acordo com o Dr. Flávio Faria, existem vários tipos de tratamentos, que devem ser analisados caso a caso e que podem muitas vezes ser definitivos.

Acne adulta

A acne adulta também é um dos grandes motivos das consultas ao dermatologista, e também pode causar muito incômodo, inclusive pode ser mais resistente do que a acne que surge na adolescência.
A acne adulta geralmente aparece na parte inferior do rosto, a chamada “zona U”, que envolve a mandíbula, o queixo e o pescoço. Ela também pode aparecer no colo e nas costas, se diferenciando da acne mais jovem, que normalmente surge na “zona T”, que envolve testa, nariz e queixo. Os motivos que levam a esse tipo de espinha na vida adulta também podem estar muito mais ligados ao estilo de vida do paciente.

Se o paciente já possui uma pele oleosa desde a sua adolescência, é mais comum que as inflamações persistam na vida adulta. Entretanto, se as acnes passam a ser frequentes após os 30 anos, é necessária uma avaliação dermatológica para descartar problemas de saúde e auxiliar no tratamento.
As principais causas da acne adulta são:
● Sensibilidade aos hormônios masculinos (testosterona e derivados);
● Questões emocionais como o estresse;
● Condições hormonais (como a Síndrome do Ovário Policístico e a endometriose);
● Uso de corticoides;
● Uso de produtos oleosos (maquiagens e cosméticos);
● Má alimentação;
● Suplementação com vitaminas do complexo B;
● Tabagismo;
● Fatores hereditários.

O estilo de vida que envolve noites mal dormidas, alimentação gordurosa e rica em açúcar, pouca ingestão de água e falta de atividade física também podem ser fatores de risco para o aparecimento de cravos e espinhas.

O tratamento para esse tipo de acne também é muito individual, mas pode envolver remédios tópicos, luz de led, peelings e até remédios orais ou suplementação, além da retirada ou tratamento do fator agravante.

Prevenção

É possível prevenir a acne. Com base no conhecimento dos fatores que todos sabem que podem ser causadores e agravantes da condição, a prevenção deve ser feita excluindo alguns itens do cotidiano e fazendo visitas regulares ao dermatologista. Entre as medidas preventivas estão:

● Lavar a pele diariamente com sabonetes recomendados pelo dermatologista;
● Lavar o cabelo com produtos menos oleosos, que não agridem a pele;
● Evitar o uso de cosméticos oleosos;
● Cuidar da alimentação, evitando açúcar, leite e frituras;
● Manter a prática de exercícios físicos regulares;
● Evitar situações de estresse e tratar questões emocionais;
● Evitar o tabagismo e o consumo excessivo de álcool;
● Consultar o médico regularmente para verificar as questões hormonais

O problema pode se estender por muito tempo caso a pessoa não busque ajuda médica e, da mesma forma, pode ser facilmente resolvido ao seguir recomendações de um Dermatologista especialista no assunto.

Website: http://www.dermatologue.com.br